Guia completo de boas práticas para o redesign de websites

17 Abril, 2018
Posted in Websites
17 Abril, 2018 admin

O redesign de websites pode ser um desastre se as patologias não forem bem identificadas. Qual é a finalidade da intervenção? Tornar o website mais bonito? Se esta for a primeira razão a surgir na sua cabeça, impeça qualquer mudança. O website não é uma montra digital, embora 36% das PME portuguesas o continuam a utilizar como tal. O website é onde está a essência da sua marca. Mudaria a sua reputação por uma simples intervenção estética? A digitalgreen oferece-lhe o guia completo de boas práticas para o redesign de websites em 2018.

Guia completo de boas práticas para o redesign de websites

Antes de colocar os dedos na ficha, descubra qual é o seu foco para quer intervir no website, nomeadamente com um redesign do mesmo. É o foco que permite definir objetivos, adotar comportamentos ou ações, e gerar resultados.

Redesign de websites

Números que importam

Neste momento, estão online mais de mil milhões de websites a nível global. São 1,868,590,477 para ser exato. Na realidade são 1,868,590,640 e continua a aumentar. Em Portugal, 66% dos portugueses utiliza a Internet e a perspetiva é de que atinja os 91% até 2025.

Ter um website pode ser uma das melhores estratégias para chegar aos 3 milhões de compradores online em Portugal e atingir 700 milhões de compradores online em todo o mundo. No nosso país, o número de utilizadores na Internet aumentou quase 11 vezes, indica o estudo Bareme Internet, lançado pela Marktest em 2017.

O redesign do website da sua marca pode ser o passo que se segue. Como evitar os desastres e potenciar as oportunidades?

redesign do website da sua marca pode ser o passo que se segue. Como evitar os desastres e potenciar as oportunidades?

A mudança pode assustar

“Está desatualizado” ou “É feio” são alguns dos comentários mais comuns quando se procura uma agência de marketing digital para uma intervenção no website institucional, por exemplo. Frequentemente, esquece-se a experiência do utilizador e a forma como reage à mudança.

Sabia que apenas 29% dos consumidores preferem falar com um representante da marca para saber mais sobre determinado produto ou serviço em vez de consultarem informação em motores de busca?

Não é raro verificar-se quebras de tráfego e deterioração de indicadores como a taxa de rejeição e a duração média de sessões após lançar um novo website. A razão é, na maioria da vezes, o facto de os utilizadores terem odiado a nova experiência, embora seja mais bonito. Porquê? Já se tinham habituado ao velho website, sabiam onde estavam as coisas, não apreciam o design, apreciavam terem sido envolvidos.

Leia também: As melhores estratégias de SEO para vencer a maratona digital de 2018

A mudança pode assustar os utilizadores digitais

Microscópio: Analise o seu website atual à lupa

Uma intervenção profunda no website pode ser mais do que realmente precisa. Para identificar os pontos de dor, os aspetos que não precisam de alteração e as ligeiras melhorias a fazer, o ideal é testar a experiência do utilizador no seu website. Ou seja, trata-se da jornada do consumidor no seu website.

redesign de websites pode ter três finalidades (e que são complementares):

  1. Design.
  2. Conteúdo.
  3. Conversão.

A experiência do consumidor é essencial e uma das formas para a analisar é perguntar diretamente aos utilizadores. Mas também pode recorrer a ferramentas de análise de dados como o Google Analytics. Questões no âmbito do objetivo número 1 ‘Design’:

  • Qual é o nome da empresa?
  • Qual é a área de atuação?
  • Quais são os produtos / serviços que oferece?
  • Parece um website seguro e credível?
  • Voltaria ao website?

O benefício em reexaminar o seu website será maior aos custos, nomeadamente de tempo. O redesign do website é uma operação que não ocorre com frequência. Neste sentido, é um incentivo ótimo para ficar a conhecer o website como ninguém. A análise pode revelar detalhes curiosos e dos quais já não se lembrava ou nunca reparara.  O relatório será algo do género:

This is how you remind me
Of what I really am

How you remind me, do artista Nickelback, nunca fez tanto sentido como em análises aprofundadas de websites, sobretudo com mais de um ano de vida.

Finalidade do redesign de websites - design, conteudo e conversão

É uma oportunidade para:
  1. Revisitar as catacumbas do website.
  2. Explorar as profundezas do conteúdo.
  3. Rever a identidade visual.
  4. Medir o desempenho e a navegabilidade.
  5. Identificar pontos fortes e pontos fracos.
  6. Reunir os motivos de visita ao website.

A cor e as fontes são tudo o que importa?

O aspeto de um website é crucial mas não faz milagres. Um website bonito atrai. A voz com densidade seduz. A navegabilidade retém e converte.

Facilmente se cai na tentação de sobrevalorizar a identidade visual em detrimento de outros elementos. O redesign  de website deve prestar atenção a diversos requisitos. E que estão para além da estética. Inevitavelmente, todos os aspetos da presença digital de uma empresa ou marca devem estar alinhados:

  1. Fale e escreva para o consumidor.
  2. Descubras as páginas mais populares.
  3. Descubra as páginas menos populares.
  4. Saiba porquê.
  5. Perceba o que quer o consumidor.
  6. Procure oportunidades de conteúdo.
  7. Crie ímanes de leads: blog oficial, ebooks, newsletters, infografias, entre outros.

A cor e as fontes são tudo o que importa?

De volta à experiência do consumidor

O seu website deve deixar claro onde clicar conforme o resultado desejado:

  1. Quer subscrever a newsletter? Botão ‘Subscrever newsletter’.
  2. Precisa de entrar em contacto com a empresa? Botão ‘Fale connosco’.
  3. Procura informação sobre determinado produto? Botão ‘Saber mais’.

E assim sucessivamente.

A identidade visual é a parte divertida do website. Mas em vez de olhar apenas esta componente, é importante garantir que os fundamentos básicos de funcionalidade são salvaguardados. Experiências positivas significam maior probabilidade de converter visitas em clientes. Naturalmente que também a notoriedade da marca sai reforçada. O que deve ser um website?

Guia completo de boas práticas para o redesign de websites

  1. Útil.
  2. Funcional.
  3. Acessível.
  4. Credível.
  5. Valioso.
  6. Pesquisável.

Leia também: A sua empresa ainda não tem um website? Não adie mais a decisão

Definir um foco

A identificação de um foco é essencial para se perceber onde está e onde quer chegar. Depois, é seguir o caminho. O processo de transformação depende dos objetivos definidos e das necessidades para a concretização dos mesmos.

redesign de websites deve responder a duas questões:

  1. Qual é a finalidade geral?
  2. Como é que um determinado esquema de design poderá contribuir para a concretizar dos objetivos?

A técnica SWOT (ou análise FOFA, em português) pode ser um recurso bastante útil. Escrever as forças, oportunidades, fraquezas e ameaças ajuda a reter as necessidades e a reforçar o compromisso em melhorar. No fim, importa perceber:

  1. O que é para manter do velho website?
  2. Quais são as novas funcionalidades?

A criação de personas é, neste caso, relevante para chegar a respostas concretas e estratégias focadas:

  1. Qual é o público-alvo?
  2. Quem é o tipo de utilizador?
  3. Como é que pode ajudar os visitantes do website?

Planeamento

A definição do foco é a fase subjacente ao planeamento:

  1. Qual é o prazo ideal de conclusão do projeto?
  2. Quais são as fases?
  3. O que é que é preciso garantir?

Compatibilidade com diferentes dispositivos

2018 já não é o ano do mobile first. É o ano do mobile always! Em Portugal, 47% das páginas dos sites auditados pela Marketest foram acedidas através de dispositivos móveis. Já a nível mundial, cerca de 60% das pesquisas ocorrem em equipamentos móveis.

Compatibilidade com diferentes dispositivos

É obrigatório testar o comportamento do website em diferentes browsers, ecrãs e dispositivos. O objetivo é salvaguardar a experiência do utilizador. Os consumidores recorrem cada vez mais ao smartphone para fazer pesquisas em detrimento do computador. A sobrevivência online depende da otimização para todos os dispositivos.

Caso tenha dúvidas sobre determinada design, não abdique de fazer testes A/B. Aliás, mesmo que as dúvidas não existem, continue a fazer testes. Podem ajudar a descobrir aspetos em que não tinha pensado. Nunca deixe de os fazer.

Otimização para motores de busca

Os motores de busca são uma das principais fontes de tráfego para o website. Logo, a otimização do website em termos de SEO é crucial para que surja no topo do ranking. Como quem diz, na primeira página de resultados da Google, por exemplo.

Aplicar princípios básicos de SEO pode parecer desnecessário mas o impacto a longo-prazo irá compensar. Para tal, deve definir as palavras-chave nucleares pelas quais quer lutar ou ser encontrado. E evitar sempre a canibalização das mesmas.

Performance e desempenho = SEO técnico

O tempo não pára e vale mesmo ouro no ecossistema digital. Assim, cada segundo importa. O ideal é que as páginas do site carreguem em menos de dois segundos. Mais do que isso pode significar taxas de rejeição elevadas e perdas de oportunidade de negócio.

A performance do website não afeta apenas as oportunidades de negócio mas também o posicionamento nos motores de busca.

Medir e testar

Os dados são a fonte de valor do marketing digital e devem ser analisados em tempo-real, sempre que possível. Mas do que analisar, é importante interpretar e retirar conclusões. A seguir, deve afinar estratégias, implementar novas, suspender ações e pensar em alternativas. Tudo depende do que disserem os dados.

De forma a facilitar esta tarefa, invista em métricas de envolvimento e conversão. Através destes números conseguirá perceber de que forma o consumidor se comporta e melhorar experiências. De salientar que a personalização deve estar sempre no centro das decisões.

Questões sobre o redesign de websites?

Se persistirem questões, por favor fale connosco. Responderemos sempre, e o mais rapidamente possível. O redesign de websites não é apenas uma intervenção estética no velho website. Neste sentido, faça mais do um lifting

, , , , , , , , , ,