Marketplace: como escolher o melhor para vender os seus produtos

21 Junho, 2018
Posted in E-commerce
21 Junho, 2018 ricardo

“Qual é o melhor marketplace para vender os meus produtos?” – Não se deixe abater se a resposta ainda não for clara. A questão já indica que sabe que não basta estar num marketplace para vender. É preciso escolher a plataforma certa para os seus produtos. A decisão não tem de recair para um dos marketplaces mais populares e geralmente a roleta russa nunca é boa ideia.

O investimento inicial para começar a vender num marketplace é geralmente zero ou muito próximo disso. Entender um marketplace enquanto um canal de vendas secundário ou complementar é uma leitura enviesada do seu potencial. A sua presença digital pode concentrar-se num marketplace e nas redes sociais. A estratégia está em escolher o mercado digital certo.

Qual é o melhor marketplace para vender os meus produtos - digitalgreen

O conceito Marketplace

A terminologia remete para 2012. Todavia, ainda é um conceito pouco concreto para vários utilizadores. Refere-se a um local onde marcas e empresas se concentram para vender os seus produtos e/ ou serviços. Integra vendas online e offline e é a junção das palavras market (mercado, em inglês) e place (lugar, em inglês).

Também designado de e-marketplace ou e-commerce colaborativo, este lugar é exclusivamente dedicado ao comércio. Neste caso, falamos de um website comum onde os comerciantes anunciam os seus itens. Mais focado num segmento ou mais diversificado, um marketplace digital é um verdadeiro shopping com morada na Internet. Ou seja, sem filas de espera nas caixas, encontrões ou produtos fora do sítio.

É importante?

O estudo Observador Cetelem Ecommerce 2018, divulgado em Junho deste ano, revela que os portugueses preferem comprar nos sites das marcas. Em segundo lugar surgem os marketplaces. Porquê? Ainda de acordo com o relatório, os motivos são:

  • Credibilidade associada à marca.
  • Perceção de maior facilidade de contacto.
  • Menor risco de fraude.
Vantagens
  1. Liberdade e facilidade de entrada.
  2. Baixo custo de investimento.
  3. Não exige conhecimento profundos de programação ou marketing.
  4. Escabilidade.
  5. Maior capacidade de fidelização.
  6. Logística prática e intuitiva.
  7. Elevado desempenho de SEO.
  8. Diversificação da carteira de clientes.
  9. Expansão do negócio de nicho.
Desvantagens
  1. Falta de uniformidade na comparação de informação entre produtos e tempos de entrega.
  2. As críticas negativas são mais fáceis de difundir e influenciar decisões de compra.
  3. Investimento necessário em publicidade online para aproveitar todas as potencialidades.
  4. Os negócios concretizados acarretam comissões (normalmente baixas).

Leia também: Guia de E-commerce: o carrinho da sua loja online não é um lugar silencioso

Está a pensar investir num e-marketplace?

Faça as seguintes perguntas:

– Qual é o objetivo da marca ao entrar no marketplace?

– A decisão é compatível com os objetivos estratégicos da empresa?

– Quais são os custos (investimento) e consigo suportá-los?

– Vou captar a atenção de potenciais clientes do meu público-alvo?

– O marketplace é user-friendly?

– Existe alguma custo para garantir compatibilidade com os meus sistemas, canais digitais ou software?

– Qual é a reputação do marketplace?

– Como é a infraestrutura de gestão e monitorização das vendas?

Dicionário de um marketplace

  • Comissão – taxa sobre o volume de vendas realizadas paga ao marketplace.
  • Métodos / entidades de pagamento – pode existir mais do que uma entidade de pagamento disponível entre vendedores e compradores;
  • Liquidez de Produtos – resultado do número total de produtos com vendas dividido pelo total dos produtos na plataforma. Revela a probabilidade de uma venda ser realizada.
  • Prazo de Pagamento – varia em função do marketplace e tem normalmente um intervalo de 2 a 45 dias.

Tipologias

Serviços

A sua missão é conectar empresas que prestam serviços com potenciais clientes, desde consultoria a design, educação, copywriting, assistência técnica, entre outros.

Produtos

O objetivo é vender produtos.

Leia também: Guia de Social Selling: os ventos de mudança chegaram à sua loja online

Boas práticas

  1. Antes de tomar uma decisão, compreenda o modo de funcionamento da plataforma.
  2. Estude as descrições dos produtos.
  3. Invista na qualidade das fotografias.
  4. Esmere-se na montra da sua loja.
  5. Especule sobre a possível procura que irá enfrentar e prepare-se.
  6. Analise a concorrência e compare preços.
  7. Desenvolva parcerias.
  8. Selecione os métodos de pagamento e escolha as transportadoras.

Alguns Marketplaces a conhecer

mercadao-marketplace-ecommerce-digitalgreen-compras-online-pingo-doce

Mercadão – marketplace português com entregas até 2 horas após a compra.

BuyinPortugal – plataforma B2B direcionada para pequenas e médias empresas exportadoras portuguesas.

Tuedder – marketplace de moda.

glam to glam -marketplace-digitalgreen-compra-e-venda-de-roupa-usada

Glam to Glam – primeiro marketplace português dedicado à moda em segunda mão. Qualquer pessoa pode vender e comprar roupa.

eNeNe – plataforma para marcas portuguesas desde moda, marcas gourmet, joalharia e multimarcas.

OLX – anúncios classificados para emprego, imóveis, serviços e eventos.

minty-square-marketplace-certo-blog-digitalgreen-moda-marcas

MINTY Square – plataforma de e-commerce dedicada a peças de autor, com marcas únicas e roupas exclusivas.

Facebook Marketplace – compra e venda de produtos entre utilizadores da rede social.

eBay – considerado o primeiro marketplace do mundo, oferece uma larga variedade de produtos e serviços.

 

 

 

Amazon – plataforma de comércio digital e que permite às marcas portuguesas vender os seus produtos noutros mercados europeus, por exemplo.

bia.pt – marketplace português de venda e compra de produtos nas categorias: beleza e bem-estar, desporto, electrodomésticos, jóias e acessórios, lar e decoração, moda e calçado, sabor gourmet e tecnologia.

Farfetch – reúne as principais lojas, boutiques multimarcas e marcas de moda do mundo.

Etsy – centro comercial eletrónico dedicado à venda e compra de produtos feitos à mão e material para artesanato. Funciona como uma grande feira de artesanato.

 

Os B2B marketplaces são locais que apenas existem online e que fazem a intermediação entre compradores e vendedores.

Os B2B marketplaces são locais que apenas existem online e que fazem a intermediação entre compradores e vendedores. Fornecem também serviços de suporte às transações comerciais realizadas nas suas ‘lojas’. Aumentam a oferta disponível, reduzem custos com as operações de compra e permitem obter produtos e serviços a preços mais baixos.

A Amazon e o eBay criaram o modelo de negócio de marketplace, no final do século XX. Entretanto, este modelo expandiu-se e está em todos os setores de atuação.

Tipologias

  1. Marketplace aberto – fornecem uma plataforma para que marcas e consumidores se registem e façam negócios entre si.
  2. Marketplace fechado – criados por marcas que possuem operações de varejo físicas e online e permitem às empresas externas venderem os seus produtos no canal online do varejista.

Não sabe qual é o marketplace ideal para o seu negócio? Fale connosco. Os negócios sem fronteiras estão à sua espera.

(artigo atualizado a 24 de Janeiro de 2019).

, , , ,