A transformação digital das PME e os 4 gatilhos dos ecossistemas digitais

30 Abril, 2018
Posted in Estratégias
30 Abril, 2018 admin

A transformação digital das pequenas e médias empresas portuguesas ainda é embrionária embora 71% das PME considere importante adotar uma estratégia de marketing digital e social. Constrói-se enquanto movimento cósmico de que todos ouvem falar mas sobre o qual ainda existe pouco conhecimento. A digitalgreen responde à questão ‘O que é a transformação digital das PME?’ e revela os 4 gatilhos para ecossistemas digitais de sucesso.

O que é a transformação digital?

A transformação digital de pequenas e médias empresas é o processo através do qual se prepara o tecido empresarial português para o presente. Sim, o presente e não uma realidade longínqua da qual já se fala mas sobre a qual ainda pouco se sabe. O fenómeno cósmico já aconteceu. Para que o seu negócio se torne mais competitivo, é obrigatória a aposta em tecnologia, com impacto na estrutura da empresa, nomeadamente cultura, estratégia global e processos.

A tecnologia

Pode ser a maior vantagem competitiva de uma empresa. Utilizá-la para digitalizar todos os processos, criar novas formas de relacionamento com os clientes e ligar-se a novas geografias, revolucionará a forma como a sua organização de comporta, comunica e interage.

Atualmente, mais de 7 milhões de Portugueses acede à Internet. E mais de metade têm presença ativa nas redes sociais. Para dar início ou consolidar a sua transformação digital, é necessário repensar as ações estratégias da empresa e colocar, sem medos mas taticamente, o digital no núcleo de negócios e ideias. Deve fazer parte do ADN organizacional.

As experiências digitais que proporciona é o elemento que irá fazer a diferença no botão de ‘Comprar’ no cérebro dos utilizadores.

Sabia que…

A utilização da Internet para fins profissionais representa 73% de todos os acessos?

Em Portugal, 75% dos consumidores recorrem a pesquisas online antes de concretizarem uma compra?

Os portugueses passam mais de 80 minutos nas redes sociais por dia?

Todos os dias em Portugal há 30 milhões de pesquisas no Google?

O Google e o Facebook dominam 60% a 75% da publicidade online?

Até 2020, faltam apenas dois anos, a experiência do consumidor terá mais valor que o preço e o produto como diferenciado-chave da marca?

Reações e efeitos

A experiência do consumidor deixa de ser estática e isolada. O digital acelera os processos, cria relações contínuas e dinâmicas, potencia negócios. Tudo acontece em tempo-real. E é possível monitorizar o tempo real.

Definição

Não é possível dar uma definição tácita e irredutível. No entanto, podemos afirmar que: A transformação digital é um processo no qual as empresas e organizações utilizam a tecnologia para atingir os resultados desejados, com uma aposta clara nos canais digitais e sociais. A melhoria do desempenho, o aumento do alcance, o reforço da notoriedade e a relação com os clientes, são alguns dos pontos-chave a considerar.

Isto significa, então, que se trata de um processo com mudanças radicais no funcionamento de uma empresa e que exige tempo e recursos. Não deve ser confundido, ainda assim, com orçamentos megalómanos em marketing ou tecnologia.

Digitalização

Essencialmente, consiste na conversão de informação analógica para suporte digital. Logo, inclui todas as mudanças reais efetuadas no seio das empresas através de ferramentas tecnológicas. Somos conduzidos para a meta.

Destino final

Chegamos finalmente à transformação digital, “o efeito total e geral da digitalização na sociedade”.

Os 3 top killers da transformação digital
Killer número 1: isto não é para mim

É um dos mitos mais comuns e que deve demolir imediatamente. Pensar que a transformação digital apenas faz sentido para startups ou empresas tecnológicas é errado. Os nativos digitais, como são frequentemente referidos, têm a vantagem de ter a tecnologia no centro da sua atividades. Nada mais que isso. Não são paladinos do digital.

Killer número 2: basta investir na experiência do cliente

A experiência do clientes será a vantagem competitiva das empresas muito em breve, ultrapassando o preço ou o produto. Todavia, a transformação digital não se resume à forma como interage com o cliente ou o que lhe proporciona nos canais digitais e sociais que utiliza.

A transformação digital é uma verdadeira teia de aranha, repleta de nós e caminhos, e que deve envolver toda a empresa. A atividade da sua empresa resume-se à experiência do cliente?

Killer número 3: as empresas de tecnologia de informação que tratem do assunto

As empresas de tecnologia de informação detêm o conhecimento específico relevante para garantir que a estratégia de marketing digital e social é a que a sua empresa precisa, assim como agências de marketing digital especializadas no tema. No entanto, não é o setor de TI que ira realizar esta mudança. Ela depende de cada empresa e negócio.

Os 3 killers extra da transformação digital
Killer número 4: pequenos passos são suficientes

A criação de uma cultura organizacional digital constrói-se ao longo do tempo, com uma linha temporal de longo prazo e sem interrupções. A transformação digital deve envolver toda a estrutura, desde o tipo da hierarquia à base, e instituir-se nos diferentes processos.

Killer número 5: ações digitais sem foco

Definir objetivos, repeti-los e estudá-los ajuda a agir em conformidade. Somos programados para a persecução dos mesmos. Logo, ter um website, uma página de Facebook ou enviar emails todos os dias, não significa que já exista um processo de transformação digital na sua empresa. A presença digital é apenas o primeiro passo. O mais óbvio e tangível mas apenas a medida a executar.

Pequenas ações importam e devem ser realizadas mas fazem parte da transformação digital e não são a transformação.

Leia também: Contratar uma agência de marketing digital? É um amor para a vida toda

Killer número 6: esperar para ver

Não saber por onde começar traduz-se, frequentemente, em deixar que os outros batam caminho ou ‘partam pedra’ para depois seguirmos os passos. A imitação de estratégias de sucesso não significa sucesso replicado. Bem pelo contrário. Enquanto aguarda e espera para ver, vai ficando para trás e o comboio passa. A alta velocidade.

Adiar a mudança, sob o pretexto de que ainda não em toda a informação de que precisa, é arriscado, mais do que não tomar todas as decisões certas. Ao longo de todo o processo, terá sempre de alinhar a comunicação, escolher novas ferramentas, abdicar de ações e encontrar novos caminhos. Desconfie de estratégias estáticas e com sucesso garantido sem testes e alterações de percurso.

Passo n.º 1: Presença Digital

A forma como as empresas de apresentam online e interagem com os utilizadores ajuda a construir credibilidade, prestígio e confiança. O reconhecimento da sua marca é o objetivo que interessa guardar, com o aumento do volume de vendas subjacente. O seu sucesso depende da imagem que cria e consolida, tanto na Internet como offline. Mas deve ser a mesma ou pelo menos coerente.

Em que se traduz?
  1. Maior visibilidade é sinónimo de mais negócio. A presença de uma empresa nos motores de busca, a qualidade do website e a utilização das redes sociais, influenciam a escolha de uma marca. Destaque-se para que os seus produtos e serviços sejam escolhidos.
  2. Sem pausas. A transformação digital, como referimos anteriormente, deve ser trabalhada de forma contínua e dinâmica. Trabalhe a sua presença digital todos os dias, mas não se esquece de trabalhar de forma digital.
  3. Acesso generalizado. A presença digital é acessível a todas as pequenas e médias empresas, graças a ferramentas intuitivas e de custo flexível, de acordo com os orçamentos disponíveis.
  4. Disponível 24 horas. Os telefones e os emails têm o problema de estarem disponíveis apenas durante o horário de trabalho. Os novos canais digitais e sociais, como newsletters, websites, redes sociais e SMS, permitem disponibilidade total para os clientes.

Passo n.º 2: Assimilar os dados

  • A probabilidade de fechar uma venda online é 8 vezes maior quando usa a identidade digital profissional da sua empresa.
  • Para as lojas físicas, em média 43% das vendas resulta diretamente de pesquisas online.
  • Os primeiros dez resultados de uma pesquisa online concentram 97% do volume de tráfego.
  • 84 dos consumidores com acesso à Internet pesquisa online antes de comprar numa loja física.

Fonte: Vodafone

Passo n.º 3: Cultura Empresarial

A transformação digital das PME, e no geral, debruça-se na adaptação da cultura empresarial às potencialidades, e aos riscos, das novas tecnologias. Dizer nada é dizer muito na economia digital. Não opte pelo silêncio. A melhor abordagem é a que se centra nas pessoas. Só assim poderá implementar mudanças no dia-a-dia da organização e criar uma nova cultura empresarial ou transformá-la e adaptá-la às novas exigências.

Passo n.º 4: Modelo de negócios

A transformação do modelo de negócios é consequência natural da integração de estratégias para o desenvolvimento digital de empresas e marcas. Reforçar competências e criar parcerias são duas ações a considerar. Considere:

  • Focar-se no crescimento do alcance digital.
  • Ampliar de produtos e serviços.
  • Promover a transição do físico para o digital.
  • Desenvolver produtos digitais desde a concepção.
  • Apostar em serviços compartilhados.

Passo n.º 5: Relação com o cliente

O mundo online revolucionou a forma como as empresas se relacionam com os (potenciais) clientes. A experiência do consumidor é o cerne da questão e por isso nunca foi tão bom ser consumidor.

Passo n.º 6: Vertente operacional

Não cometa o erro de ignorar estes pontos essenciais:

  • Comunicação interna ampla e rápida.
  • integração de todos os setores – estratégia colaborativa.
  • Transparência.
  • Conhecimento analítico – a melhor ferramenta para tomar decisões.
  • Acesso em tempo real à informação – processos automatizados e compartilhados.
  • Automação de processos.
  • Avaliação do desempenho.

Passo n.º 7: Recursos internos ou contratação externa?

A decisão de contratar uma agência de marketing digital é uma ação prioritária para aumentar a maturidade digital de marcas, projetos e empresas. Contudo, deve ser articulada com a formação de recursos humanos internos para garantir que existe trabalho contínuo.

 A transformação digital das PME e os 4 gatilhos dos ecossistemas digitais

Os pilares da transformação digital das PME

  1. Cliente
  2. Competitividade.
  3. Dados.
  4. Inovação.
  5. Valor.

As tendências da transformação digital das PME

  1. Data-driven marketing. O volume de dados, segundo um relatório do McKinsey Global Institute, cresce a um ritmo de 40% por ano. Todas as decisões estratégias devem resultar da análise de dados e métricas, incluindo o marketing.
  2. Internet das coisas.
  3. Inteligência artificial.
  4. Realidade virtual e aumentada.
  5. Business Intelligence
  6. Marketing de conteúdo
  7. Automação de marketing.
  8. Experiência do utilizador.

Os desafios da transformação digital das PME

  1. Ausência de iniciativa.
  2. Falta de estrutura, capacidades e competências internas.
  3. Reputação e segurança.
  4. Centralizar a informação.
  5. Retorno do investimento (ROI).
  6. Cultura organizacional.
  7. Desconhecimento do ponto de partida.

4 passos a dar

  1. Fechar os olhos e visualizar o futuro digital da sua empresa.
  2. Investir em campanhas digitais e novas competências.
  3. Não acelerar no início para perder o fôlego perto da meta.
  4. Liderar a transformação.

A transformação digital no mundo

Após o início do processo,

37% das empresas registam crescimento nas fontes de negócio.

97% confiram melhores experiências de consumidor.

93% relatam maior alcance digital.

Fonte: Transformação digital

Leia também: As melhores estratégias de SEO para vencer a maratona digital de 2018

O que são pequenas e médias empresas(PME)?

Os critérios que definem um negócio como PME são:

  1. O número de efetivos; e
  2. O volume de negócios ou o balanço total.

Micro empresa:

  1. Menos de 10 efetivos.
  2. Volume de negócios igual ou inferior a 2 milhões de euros.
  3. Balanço total igual ou inferior a 2 milhões de euros.

Pequena empresa:

  1. Menos de 50 efetivos.
  2. Volume de negócios igual ou inferior a 10 milhões de euros.
  3. Balanço total igual ou inferior a 10 milhões de euros.

Média empresa:

  • Menos de 250 efetivos.
  • Volume de negócios igual ou inferior a 50 milhões de euros.
  • Balanço total igual ou inferior a 43 milhões de euros.

Os 4 gatilhos para ecossistemas digitais de sucesso

Gatilho número 1: ADN e cultura organizacional

Às cinco questões essenciais da cultura organizacional (quem somos?; onde estamos?; de onde viemos? para onde queremos ir? qual é o caminho a percorrer?), deve acrescentar:

  1. Para quê estar online?
  2. Como definir a presença digital da minha empresa?
  3. Quais são as minhas personas?
  4. Que estratégia devo seguir?
  5. Quais são os canais e os momentos certos?

Gatilho número 2: planeamento tático

O sucesso de estratégias de marketing digital não acontece por acaso. Ou seja, a falta de planeamento é um dos responsáveis pela falha de campanhas digitais e sociais. Alcançar objetivos exige pensamento crítico, preparação e testes.

Gatilho número 3: Inovação

Deve ser levada em consideração quando se investe em novos produtos e serviços, mas também na presença digital de marcas e empresas. Os negócios sustentáveis têm como fundação o facto de resolverem uma necessidade específica dos consumidores. Oferecem soluções. Porém, a inovação também deve ser considerada nos ecossistemas digitais. É obrigatória.

O último…

Gatilho número 4: Risco

O perfil de risco de uma organização determina a forma como está online. No entanto, não possuir perfil de risco, ainda que moderado, é um obstáculo ao investimento nos canais digitais. O risco está inerente. O segredo é a forma como é percecionado e potenciado.

A presença digital das PME em números

  • 25% não possui estratégia de marketing digital.
  • 36% utiliza apenas email e o website – montra digital estática.
  • 17% tem website, utiliza email e está presente no Facebook.
  • 11% utiliza duas redes sociais, com foco para o Instagram e o LinkedIn, possui website e utiliza o email.
  • 6% recorrer às redes sociais, nomeadamente Instagram, Facebook, Twitter, Youtube e LinkedIn enquanto canais comerciais e está em estado avanço na sua maturidade digital.
  • Só 5% das PME integra os canais digitais e as ferramentas tecnológicas na sua estratégia global.

Fonte: PSE

A transformação digital das PME e os 4 gatilhos dos ecossistemas digitais digitalgreen

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Preste atenção às cascas de banana durante a transformação digital da sua empresa!

, , , , ,